/ Artigos / Filosofia Espírita

Tamanho da letra

03/05/2015 às 00:00
Filosofia Espírita
João Machado - Grupo Espírita à Caminho da Luz

"Seria fazer uma ideia falsa do Espiritismo crer que ele haure sua força na prática das manifestações? Sua força está em sua filosofia, no apelo que faz à razão e ao bom senso."

Allan Kardec. Parte VI. Conclusões. O Livro dos Espíritos.

Os que conhecem a Doutrina Espírita sabem que o Espiritismo é uma forma de pensar o Universo, seu Criador, suas Leis, a interação entre Espírito e Matéria, buscando explicações racionais, lógicas e claras para os fenômenos da vida. Desta forma, abole o sobrenatural, a superstição, o misticismo, a magia, o milagre, enxergando nos fatos ocorridos os princípios, os mecanismos, as forças que os provocaram.

Para tanto, buscou no estudo e na experimentação, obedecendo aos métodos científicos conhecidos, decifrar, revelar e provar as leis que regem a vida após a morte do corpo físico e as comunicações, que sempre ocorreram, entre o plano espiritual e o mundo corpóreo. É a parte científica da Doutrina, que a ciência oficial, com as alterações de praxe, aborda no que hoje conhecemos como parapsicologia.

As leis naturais ou divinas, esplanadas e vivenciadas em sua totalidade por Jesus, considerado Mestre, Modelo e Guia, constituem o roteiro para a perfeição relativa à que todos somos destinados, a fim de que obtenhamos a plena felicidade. Enquanto não atingimos a perfeição, estagiamos nos diversos degraus de nossa evolução, tropeçando em nossos erros, arcando com as consequências, até que firmemos nossa vontade na trilha do bem. A vida social é escola do conviver até que saibamos amar incondicionalmente, atendendo ao princípio maior a que Jesus reduziu "toda a lei e todos os profetas": amar. Amar a Deus, amar o próximo. Este o caminho religioso do Espiritismo, apesar de suas diferenças em relação às religiões tradicionais, pois, dentre outros aspectos, não adota rituais nem trajes especiais, não dispõe de hierarquia ou profissionais religiosos, etc..

Permeando e integrando os aspectos científico e religioso da Doutrina, encontramos a Filosofia Espírita, com todo seu vigor e pujança lógica e confortadora. Podemos, de forma elementar, compreender a Filosofia como a capacidade humana de indagar e buscar respostas para as questões fundamentais da vida e de tudo que a envolve. A Filosofia nasceu na Grécia Antiga, "com os pré-socráticos, atravessou os séculos e hoje continua a conviver conosco. No século XIX, porém, recebe uma visão nova, pois a essência do homem que ela sempre buscou foi finalmente desvendada quando Kardec apresenta, através do Livro dos Espíritos, o conhecimento do mundo espiritual", esclarece Alan Krambeck no livro "História da Filosofia e Principais Filósofos".

Temos valorizado e cultivado bastante o aspecto religioso do Espiritismo. Precisamos estudar também os aspectos científico e filosófico, para que ampliemos a visão da Doutrina Espírita, fundamentando a fé cada vez mais na razão, para que ela possa permanecer inabalável, com base na compreensão de seus princípios e no raciocínio.



Compartilhe


Comentários
Deixe seu comentário
Pesquise no site: